Notícias

SENHOR DAS PEDRAS GRITA POR SOCORRO

Por:
Ivan Brito

O projeto Meros do Brasil – Pela Conservação da Vida Marinha vem realizando, em conjunto com o IBAMA, ações de pesquisa e conservação do Mero, além de operações de soltura dessa espécie capturada acidentalmente. Após alguns meses em quarentena e encontrar-se apto para retornar ao seu habitat natural, em maio de 2009, foi libertado por biólogos e colaboradores um Mero com cerca de 30 quilos que havia sido pescado com um anzol por pescadores locais, que ao identificarem o peixe como sendo um Mero o trouxeram rapidamente para a base do Projeto Tamar, em Praia do Forte, na Bahia, por entenderem que após a briga com o anzol e já bastante debilitado o Mero dificilmente sobreviveria se solto imediatamente na ocasião da captura.

Antes da soltura deste exemplar que até o momento foi o maior peixe reabilitado em todo o litoral brasileiro, profissionais da área colheram amostras genéticas para analises que futuramente contribuirão para maiores informações e preservação dessa espécie ameaçada de extinção. Participaram da ação o Doutor em Ciências Biológicas, Cláudio Sampaio ou Buia, como carinhosamente é conhecido por todos e o biólogo Vinicius Fernandes, na época alocado no ponto focal Bahia, com base em Caravelas.

 

  É bom lembrarmos que a captura do Mero é proibida por Portaria do IBAMA desde 2002, por moratória até 2017. A espécie está na lista da IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza) como criticamente ameaçada de extinção. No entanto, desde a primeira moratória em defesa do Mero muitos foram os crimes ambientais envolvendo este peixe. Tanto pela ação inescrupulosa dos que se dizem caçadores subaquáticos profissionais, quanto dos pescadores subaquáticos amadores trazendo não só vergonha à nossa classe, mas também o repúdio da sociedade em relação à nossa modalidade.

Ganância, falta de informação, descaso ou irresponsabilidade são algumas das muitas qualificações que podemos atribuir aos inimigos do bom senso e do Meio Ambiente. Para mudar essa situação a Rede Meros do Brasil vem trabalhando pesado na pesquisa e conservação dos Meros e ambientes associados para que haja um envolvimento mais participativo da comunidade no processo de manejo dos recursos naturais.

Vamos preservar o Senhor das Pedras, como também é chamado o Mero! Como diria um amigo meu, "é como atirar em um boi preso num pasto. Onde está o mérito esportivo?" O projeto Meros do Brasil desenvolve ações de pesquisa e conservação em 4 estados do país – PE, BA, SP e SC, e traz o Mero como espécie de bandeira para a conservação marinha. Aqueles que procuram maiores informações sobre o projeto acessem o site www.merosdobrasil.org